Sobre

Logo

BiodivSummit 2019

A Origem das Espécies e a Biodiversidade - Bio-Humanidade é o Novo Paradigma do Século XXI?

Ao longo de séculos, os habitantes do concelho de Proença-a-Nova retiraram dos recursos da terra o que necessitavam para o seu dia a dia. Atualmente, ainda que sob novas roupagens, a floresta continua a ser o denominador comum pelo conjunto de atividades de valor acrescentado que proporciona, como o turismo de natureza, a extração de óleos essenciais, a madeira, a micologia, a retenção de água, a construção da paisagem ou o sequestre de carbono. A urgência de se preservar a diversidade biológica existente deverá levar a que seja criada de forma afirmativa legislação que enquadre as mais valias a pagar pela manutenção das florestas e sua biodiversidade, reconhecendo o seu impacto no bem-estar coletivo e constituindo importante fonte de rendimento para aquelas que todos os dias são seus guardiões.

Para refletir sobre estas e outras temáticas, o Município de Proença-a-Nova promove, no Dia Internacional da Biodiversidade - a 22 e 23 de maio - o BiodivSummit, uma conferência focada precisamente na temática da diversidade biológica, que se realizará no Centro Ciência Viva da Floresta, equipamento que tem procurado promover todos os recursos da floresta.

Logo

Centro Ciência Viva da Floresta

O projeto do Centro Ciência Viva da Floresta de Proença-a-Nova resultou de um desafio lançado pela Ciência Viva - Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica à Câmara Municipal de Proença-a-Nova, para a constituição de uma associação que permitisse a criação e gestão de um Centro Ciência Viva sobre a temática da Floresta. Para assegurar esta associação na criação de um espaço e dos respetivos conteúdos foi convidado o Instituto Pedro Nunes.

O elemento programático central deste Centro decorre da conceção da floresta como fonte de conhecimento, sublinhando a necessidade da atualização contínua do conhecimento científico para uma gestão eficaz do meio ambiente, bem como a sua valorização como um elemento central da cultura científica contemporânea.

Partindo da premissa que "sem ciência não há cultura", o Centro Ciência Viva da Floresta oferece aos cidadãos experiências e recursos para incorporarem a ciência na sua cultura e assim capacitá-los para compreenderem o mundo em que vivemos.

Logo

Biomas / Biogrow21

Proporcionar uma plataforma interactiva e informativa de apoio aos agentes locais, instituições públicas, comunidades temáticas, escolas e público em geral, com informação variada sobre a Biodiversidade do País a partir da sua centralidade para o seu todo, no apoio e promoção de actividades de investigação e desenvolvimento, empreendedorismo que potenciem a economia circular, objectivos formativos, educacionais, serviços de animação turística, creditação e certificação, entre outros;

Desenvolver e enriquecer o propósito da Rota das Aromáticas na relação com a oferta turística de cada região, especialmente na interioridade, nas zonas rurais e florestais e na relação com a oferta de Ecoturismo; Contribuir para a revitalização das Plantas Medicinais, dinamização e divulgação do seu património local e global, na relação com o domínio da História da Medicina. Fomentar protocolos e parcerias a nível Nacional e Internacional que potenciem os propósitos e as oportunidades de desenvolvimento de projectos estruturantes e capazes de recuperar em cada território/ geografia a vitalidade destes domínios.

Atender à divulgação do património natural e rural de cada região e reforçar os seus argumentos, numa perspectiva de desenvolvimento das suas economias, enquanto centros de atracção turística pelos seus argumentos naturais pela sua biodiversidade e dimensão holística. Promover a adesão e integração de todos quantos se revejam nestas causas. Dar prioridade à promoção da investigação e desenvolvimento na defesa do planeta. Focar no formar, informar e desenvolver eventos e acções de sensibilização, privilegiando o conhecimento e a promoção da biodiversidade.